.
Casa da Doula: Portal de conteúdo informativo destinado a mulheres que buscam informações de qualidade e nascimentos respeitosos. O blog conta com a participação de profissionais da humanização de todo o país, que tenham seu trabalho embasado em evidências científicas. Aproveite a visita e leia também os meus textos por lá!

Instituto Aripe: Plataforma digital de compartilhamento de conteúdos sobre pós-parto e puerpério, que é o momento inicial da experiência da maternidade. Essa é uma fase de grandes transformações e de intenso fluxo emocional da vida da mulher. A plataforma oferece vídeos e textos de especialistas, que compartilham suas experiências e saberes, e propõem reflexões.

Estuda, Melania, estuda: Blog da Melania Amorim, médica obstetra, PhD, pesquisadora, professora universitária, feminista e ativista pela humanização do parto e nascimento, direitos sexuais e reprodutivos.

Recomendações da Organização Mundial de Saúde (2018): Cuidados intraparto para uma experiência positiva de parto. Disponível somente em inglês (texto completo) ou espanhol (sumário executivo).

Grupos no Facebook:
Parto Natural: Grupo com o principal objetivo de incentivar e resgatar o protagonismo da mulher no processo de parto e nascimento. Apoio e incentivo a mulheres que estão na busca de um parto normal, fornecendo informações importantes, evidências científicas, compartilhando experiências e dando a chance de fazer uma escolha informada, consciente e autônoma.
Cesárea? Não, obrigada!: Grupo destinado à defesa e incentivo do parto natural, e contra falsas indicações de cesárea. Cesárea, só quando muito bem indicada!

O Renascimento do Parto (2013): O filme retrata a grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. As consequências são graves: aumento da pré-maturidade, enfraquecimento do vínculo materno-infantil, crescimento do desmame precoce e da depressão pós-parto, dentre outros. Filme completo disponível na netflix e alguns trechos também no youtube. Também já estão disponíveis na netflix a parte 2 e a parte 3 do filme (2018).

Nascer no Brasil (2014): Documetário da Fiocruz dividido em duas partes:
Parto, da violência obstétrica às boas práticas: No Brasil, a chance de dar à luz sem intervenções durante o trabalho de parto é remota. Apenas 5% das mulheres tiveram essa experiência, segundo a pesquisa Nascer no Brasil, coordenada pela Fiocruz. Muitos procedimentos passaram a ser usados de forma rotineira, causando mais traumas do que benefícios. O vídeo aborda a realidade de nascer no Brasil e para qual direção caminhamos.
Cesárea, mitos e riscos: Um país com 56% de taxa de cesárea, sendo 88% nos hospitais privados. O que as mulheres brasileiras acham disso, será que elas sabem dos riscos?

Spinning Babies: Spinning Babies é uma abordagem que busca otimizar a relação entre o corpo da mãe e do bebê. Por meio do alinhamento do útero e do relaxamento dos ligamentos e músculos da pelve da mãe, abre-se mais espaço para que o bebê se movimente, reduzindo os desconfortos durante a gestação e favorecendo um bom posicionamento fetal. Durante o trabalho de parto, a depender da posição do bebê, podem ser propostas soluções fisiológicas que favoreçam o encaixe, a descida, e consequentemente o nascimento. No site (somente em inglês) você encontra descrição de algumas técnicas, disponíveis gratuitamente, e videoaulas disponíveis para compra, com exercícios diários que você pode praticar para favorecer o equilíbrio do corpo, e também a aula de Spinning Babies para gestantes e acompanhantes. Para realizar uma aula presencial incluindo esses conteúdos, procure uma Educadora Perinatal Certificada Spinning Babies na sua região.

Lei do acompanhante:Lei Federal 11.108/05 garante às parturientes o direito à presença de acompanhante durante todo o período de trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do SUS, da rede própria ou conveniada. O acompanhante deve ser indicado pela parturiente. Essa lei foi regulamentada pela Portaria 2.418/05, que estabeleceu prazo até junho/2006 para que os hospitais públicos e conveniados com o SUS tomassem as providências necessárias ao atendimento do disposto nesta Portaria. Posteriormente, a ANS publicou a Resolução 428/17, que estende esse direito também para as usuárias de hospitais privados.

Leis das doulas: No Rio de Janeiro há a Lei Estadual 7.314/16 e a Lei Municipal 6.305/17. Ambas tratam da obrigatoriedade das maternidades, casas de parto e estabelecimentos hospitalares da rede pública e privada em permitir a presença de doulas durante todo o período de trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, sempre que solicitadas pela parturiente. A presença das doulas não se confunde com a presença do acompanhante. Tramita também Projeto de Lei Federal 8.363/17, que se aprovado irá regulamentar o exercício profissional da atividade das doulas em todo o território nacional.

Something is wrong.
Instagram token error.